Quarta-Feira, 15 de Agosto de 2018

9/2/2011 - Sorocaba - SP

Audiência pública debate duplicação da SP-264




da assessoria de imprensa da câmara de Sorocaba

Mobilização contou com a participação de prefeitos, deputados, vereadores, OAB e UFSCar, entre outras autoridades e instituições.

A Comissão Especial da SP-264, presidida pelo vereador Francisco França, realizou, na tarde desta terça-feira (8), sua quarta reunião para tratar da duplicação da rodovia, que liga Sorocaba a Salto de Pirapora. A audiência pública contou com a presença de prefeitos, deputados, vereadores, além de representantes da OAB e da UFSCar (Universidade Federal de São Carlos).

A reunião foi aberta pelo presidente da Casa, vereador Marinho Marte (PPS), que enfatizou a importância histórica do encontro. “O governo do Estado parece estar ainda inerte diante de tantas mortes que ocorrem na SP-264. Mas a determinação desse encontro, que reúne lideranças expressivas, é mostrar ao governo do Estado que a força municipalista vai prevalecer”, afirmou o presidente da Casa, que passou a presidência do encontro para o vereador Francisco França, devido a compromissos previamente agendados.

Antes dos pronunciamentos, foi exibido um vídeo produzido pela assessoria de imprensa dos vereadores, com o apoio da assessoria de imprensa da Casa, mostrando a situação da rodovia, que tem 16,7 quilômetros de extensão, com um volume de tráfego de cerca de 11 mil veículos por dia. De 2006 a 2009, houve aumento de 14% no fluxo de veículos na referida rodovia e esse excesso de tráfego fez com que o número de acidentes crescesse 24%, passando de 128 ocorrências em 2009 para 159 ocorrências em  2010.

No comando dos trabalhos, Francisco França agradeceu o empenho de toda a comissão, formada ainda pelos vereadores Rozendo de Oliveira (PV), Anselmo Neto (PP), Luis Santos (PMN), Irineu Toledo (PRB) e Francisco Moko Yabiku (PSDB). O vereador também agradeceu a presença dos prefeitos e vereadores, deputados e seus representantes.

O vereador Rozendo de Oliveira, secretário da comissão, leu cartas de apoio ao movimento, enviadas por autoridades que não puderam comparecer. O vereador Luis Santos leu a carta de uma munícipe solicitando a duplicação da rodovia. Em carta, o cantor Daniel, que já foi vítima de acidente na rodovia, desejou sucesso à mobilização, mas disse que não poderia participar do movimento.

O diretor interino da UFSCar, Marcelo Nivert Schlindwim, falou do crescimento da região e defendeu que a rodovia não pode ser implantada como praça de pedágio. “Iria atrapalhar a ligação entre as comunidades”, disse, informando, ainda, que a UFSCar deve passar de pouco mais de 2 mil alunos para 10 mil alunos, o que torna a duplicação da rodovia uma exigência ainda maior, visto que, segundo a comunidade universitária, a chegada até o campus já é precária hoje. “A duplicação é estratégica para universidade”, enfatizou o professor.

O vereador Marcos Antônio Alves (PT), o Marcão Papeleiro, presidente da Câmara de Votorantim, representando os demais presidentes de Legislativos presentes, fez uso da palavra e enfatizou que “várias pessoas perderam suas vidas por um descaso do governo do Estado”. Falou da importância da mobilização e observou que também é preciso pensar na SP-79, que, no seu entender, está abandonada.

O deputado estadual Hamilton Pereira (PT), lembrou que o orçamento do Estado de São Paulo é o segundo maior do Brasil, perdendo apenas para o da União. “O orçamento para este ano de 2011 é de 142 bilhões de reais. O Estado não pode alegar que não tem recursos para realizar essa obra”, enfatizou. O deputado propôs o agendamento de uma reunião com o governador Geraldo Alckmin, no Palácio dos Bandeirantes. “Já passou da hora de realizarmos a duplicação da SP-264. Trata-se da defesa da vida de quem mora nessa região do Estado”, concluiu.

Falando em nome dos prefeitos da região, o prefeito de Votorantim, Carlos Augusto Pivetta (PT), defendeu um canal de diálogo permanente com o governo do Estado e observou que, num processo de mobilização, é importante não queimar etapas. Segundo ele, é preciso começar pelas negociações com o governo do Estado e partir para a mobilização popular (como uma caminhada ao longo da rodovia, proposta por alguns participantes do movimento) apenas se as conversas com o governo não forem bem-sucedidas.

O secretário de Governo e Relações Institucionais da Prefeitura de Sorocaba, Paulo Mendes, elogiou o trabalho da comissão e relembrou lutas históricas de Sorocaba, como a que possibilitou a duplicação da Rodovia Raposo Tavares e a implantação do campus da UFSCar no município. Paulo Mendes informou que o prefeito Vitor Lippi não pôde participar do encontro devido a compromissos de agenda que não podiam ser adiados, mas enfatizou que o prefeito solicitou oficialmente e pessoalmente ao governador Geraldo Alckmin a duplicação da rodovia.

O presidente da seccional da OAB em Sorocaba, Alexandre Ogosuku, disse que o governador não precisa de informações para fazer o que, de ofício, já deveria ter feito há muitos anos e enfatizou que “o ambiente saudável a que temos direito requer essa duplicação”. E a exemplo do diretor interino da UFSCar, reiterou que a duplicação da rodovia tem de ser feita sem pedágio. “Não me parece que essa duplicação comp



Comunicar erro nesta notícia

Se você encontrou erro nesta notícia, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente ao Sorocaba Fácil.


Enviar esta notícia por email