Segunda-Feira, 23 de Setembro de 2019

Ozeni Ramos

Ozeni Ramos é Psicóloga, com ampla vivência na área da Saúde Mental.

Atendimentos Psicológicos em Jundiaí.

E-mail: oznramos@gmail.com

Ver todas as colunas

Hábitos Tóxicos



O Resmungão

 

Verifique se você já se queixou de alguma situação ou pessoa após seu despertar, ou, talvez você recorde de algum acontecimento do dia anterior que te deixou alterado e aborrecido. Mas, se você está um pouco mais desperto vai lembrar-se da fartura de lamentações ou queixas das pessoas que estavam ao seu redor hoje, ou ontem.

Pois bem, o costume de reclamar e mal dizer as situações, coisas ou pessoas é tão natural em nosso cotidiano que ao começarmos a computar os resultados desse hábito “inocente” o susto é grande.

Contestações sem fim ocorrem também em nossas conversas mentais, onde nos policiamos o tempo todo na tentativa de manipular TODA a realidade a nosso favor, porém, isso raramente funciona, e então as reclamações geralmente utilizando a expressão (deveria ser) pipocam em nossas cabeças.

Lamentações, queixas, protestos, e todos os sinônimos desse contexto são prejudiciais, já que, roubam toda a energia psíquica do ser, tiram o seu foco, bloqueiam suas atitudes.

O que ocorre é o chamado estado de vitimização (significa colocar-se em um contexto de total incapacidade) nesse estado ocorre à paralisia da ação, da criatividade, o individuo torna-se inflexível em várias áreas da sua vida e nem percebe.

Reclamações constantes causam na mente uma espécie de barreira contra o bem estar, consomem muita energia mental e com o passar do tempo causam sintomas de estresse, geram insatisfação, e preocupações crônicas (a popular ansiedade).

Entenda que o ponto não é fingir que situações contraditórias, desafiadoras e incômodas não existam. Na verdade é descobrir quão grande é seu equilíbrio emocional para passar pelas mais diversas situações e saber compreendê-las, é crucial metamorfosear em algo útil todos os eventos e circunstâncias.

O lembrete é saber que a maioria dos seus pensamentos e sensações vem do campo psicossocial em que você se encontra, sua mente capta essas informações de forma automática e inconsciente.

Desse modo, suas verdadeiras sensações, e reais percepções ficam encobertas dentro desse estado, é preciso discernimento para sair do ciclo que se formou.

É mais ou menos como uma trufa de chocolate (hummm!) o recheio seria o seu conteúdo interno (suas percepções, suas reais vontades, etc.) já a cobertura de chocolate que é a capa que protege o recheio, é tudo que você recebe e capta de informações do seu ambiente e das pessoas que estão ao seu redor.

O básico é entender os dois lados: o interno e o externo, no externo você deve perceber que quase tudo que está o seu redor é indomável, por exemplo: as pessoas, as coisas materiais, a natureza, a sociedade e seus costumes, você não vai ter controle sobre nada disso efetivamente.

 Na verdade, você não é capaz de ter uma percepção íntegra de todos esses fatores, enxerga apenas pedaços, tal como um quebra cabeça.No seu lado interno é preciso observar e treinar sua mente, parar no momento em que ela começar a fazer birra (como uma criança) você deve ser capaz de conseguir voltar à “superfície” rapidamente, retornar ao modo bem estar, apenas nesse modo as coisas são bem feitas e você encontra equilíbrio emocional.

Comece com o hábito de policiar suas objeções internas (seus diálogos consigo mesmo) verifique se eles são negativos, se são repetitivos, se impedem suas ações. Quando forem desagradáveis, negativos e inibidores,  mude o foco para a resolução, e se não houver solução no momento quebre o foco da questão imediatamente praticando uma ação diferente.

Essa tática parece superficial, mas, a ideia e de treino mesmo, com o passar do tempo seu sistema de consciência vai se adaptar a dar foco às coisas essenciais, vai se adaptar a um nível de pensamento de alto padrão. Tal como efeito dominó, o sujeito vai atingir clareza mental e equilíbrio emocional, condições escassas a nível individual e coletivo nos dias de hoje.

 

Na próxima falaremos sobre mais um hábito tóxico...

 

 

 










Imóveis em Sorocaba

Apartamentos

Áreas Industriais

Casas

Chácaras

Comercial

Condominios

Fazendas

Haras

Sítios

Terrenos

Anuncie seu Imóvel

O mercado de Aluguel de louças e acessórios aumentou (e ficou ainda mais qualificado) de uns anos para cá. Um exemplo? Outro dia estava organizando uma lista de peças que precisariam ser alugadas (Aluguel de louças para festas) para um festa

Quando se pensa na realização de um evento social, seja ele uma festa familiar ou uma recepção empresarial,Aluguel de louças, a preocupação com a aquisição dos pratos, talheres e outros equipamentos a serem usados é grande. Além de consumir bastante tempo, o custo e a logística de obtenção dos mesmos é significativa.

O mercado de Aluguel de louças em São Paulo aumentou (e ficou ainda mais qualificado) de uns anos para cá. Um exemplo? Outro dia estava organizando uma lista de materiais que precisariam ser alugadas (Aluguel de louças para festas em São Paulo) para um festa



Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Blog  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2018, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.