Domingo, 16 de Junho de 2019

Victor Barboza

Victor Barboza é fundador da GFC - Gestão Financeira Criativa e atua com Educação Financeira e Gestão Financeira de pequenos negócios

Ver todas as colunas

Aumento do Salário Mínimo x Inflação



Uma das primeiras ações do novo presidente da República, Jair Bolsonaro, foi a assinatura do decreto que fixou o salário mínimo de 2019 em R$ 998, aumento de 4,61% em relação ao salário mínimo de 2018, que era de R$ 954.

Além do salário mínimo, as faixas salariais acima do mínimo dos trabalhadores com carteira assinada também são reajustados anualmente. O reajuste destes variam de acordo com os sindicatos. Porém, o aumento não necessariamente significa que o trabalhador possa gastar mais, já que, além do salário, o preço de diversos produtos e serviços também costumam ser reajustados (efeito da inflação). Por isso, é fundamental manter um planejamento e controle sobre suas finanças.

Por conta do que foi dito anteriormente, temos dois conceitos diferentes na hora de se considerar o quanto o seu salário aumento. O primeiro é o chamado “Aumento Nominal”, que é simplesmente o quanto aumentou de um ano para o outro. Já o “Aumento Real” é aquele que desconta a inflação do período em relação ao aumento total.

Salário Mínimo

O Salário Mínimo é definido como sendo o mais baixo valor de salário que os empregadores podem, legalmente, pagar aos seus funcionários. Aqui no Brasil ele surgiu em 1930, criado por Getúlio Vargas, com o cálculo para a compra do equivalente a 10 cestas básicas regionais de gêneros alimentícios. Porém, o mesmo só passou a vigorar 10 anos depois, e, apresentava-se com 14 diferentes valores, de acordo com a região.

Foi na Constituição de 1988 que o salário mínimo ficou caracterizado como direito de todo trabalhador, devendo ser suficiente para atender as suas necessidades primárias. Em 1994, ano da criação da nossa atual moeda, o Real, o salário mínimo tinha o valor de R$ 64,79. Ano a ano ele vem aumentando, tendo alguns anos reajustes chegando a 20%, porém, de 2017 para cá, o reajuste nunca mais foi acima dos 10%. Ano passado o reajuste tinha sido de 1,81%. Neste ano, o novo valor é 4,61% maior que o do valor de 2018.


Inflação
 

O aumento percentual do salário mínimo de um ano para outro chama a atenção em alguns anos. Porém, esse número não pode ser analisado individualmente, ele deve ser comparado com a inflação do período, que caracteriza o aumento dos preços dos produtos e serviços. Consideramos o Índice de Preços ao Consumidor, o IPCA, acumulado em cada um dos anos. Subtraindo este valor do aumento do salário mínimo, chegamos no valor real que representa o aumento do dinheiro no bolso do trabalhador. Em 2018, o aumento real foi de -1,13%, negativo, ou seja, não foi um aumento, mas sim uma redução no poder de compra. Para 2019, o aumento real é de 0,92%.


Repare que agora o cenário muda um pouco, já que aparecem anos com aumentos negativos, que representam redução no poder de compra. Seria o equivalente a dizer que, com o salário mínimo, quando há redução real, o trabalhador precise tirar um item do seu carrinho de compras. 

Salário Mínimo Ideal

O Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Econômicos, o DIEESE, realiza mensalmente pesquisas mostrando qual deveria ser o salário mínimo necessário para atender as necessidades básicas de uma família composta por 2 adultos e duas crianças, considerando o custo da maior cesta básica dentre as 27 capitais do país.


Apesar de, ao longo dos anos, a relação estar caindo, desde 2009 o número de salários mínimos de cada ano para conseguirem suprir os gastos necessários de cada mês se manteve em 4. Em outras palavras, de acordo com a Constituição, para suprir o padrão de vida básico, o trabalhador que ganha o salário mínimo deveria receber quatro vezes o valor que recebe hoje. 

Juntando isso com o fator inflação, vemos a necessidade de não se iludir com aumentos salariais, e mais do que isso, se planejar e controlar bem as finanças de modo que estas não virem uma bagunça e não entrem no vermelho.

 

 Post Completo: http://gestaofinanceiracriativa.com.br/aumentosalariominimo/ 










Imóveis em Sorocaba

Apartamentos

Áreas Industriais

Casas

Chácaras

Comercial

Condominios

Fazendas

Haras

Sítios

Terrenos

Anuncie seu Imóvel

O mercado de Aluguel de louças e acessórios aumentou (e ficou ainda mais qualificado) de uns anos para cá. Um exemplo? Outro dia estava organizando uma lista de peças que precisariam ser alugadas (Aluguel de louças para festas) para um festa

Quando se pensa na realização de um evento social, seja ele uma festa familiar ou uma recepção empresarial,Aluguel de louças, a preocupação com a aquisição dos pratos, talheres e outros equipamentos a serem usados é grande. Além de consumir bastante tempo, o custo e a logística de obtenção dos mesmos é significativa.

O mercado de Aluguel de louças em São Paulo aumentou (e ficou ainda mais qualificado) de uns anos para cá. Um exemplo? Outro dia estava organizando uma lista de materiais que precisariam ser alugadas (Aluguel de louças para festas em São Paulo) para um festa



Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Blog  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2018, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.